segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

O Mar

Encharca o rosto e lava a alma
Escorre pela face silenciosa e tortuosamente
São as lágrimas num momento sem calma
Que deslizam como o sol poente

E nessa praia o meu barco se afunda
Entre os motivos que te fazem chorar
Seu coração quebrado se inunda
Com as palavras que o fizeram afogar

E entre as ondas que vão balançando
Você questiona o seu paradeiro
Não sabe se o mar o foi levando
Ou se a correnteza o traiu primeiro

2 comentários:

  1. quanto mais se lê, mais se descobre sentimentos nas entrelinhas.

    ResponderExcluir